sábado, 4 de agosto de 2012

A Cor no Espaço e no Tempo, Exposição na Pinacoteca do Estado

Depois do almoço foi hora de ir para a Luz e conferir a exposição do venezuelano Carlos Cruz-Diez que tá rolando até o dia 16 de Setembro na Pinacoteca. Para quem ficou interessado o ingresso custa R$3,00 a meia e R$6,00 inteira, e esse ingresso vale também para a Estação Pinacoteca que fica ao lado da Sala São Paulo no antigo prédio do DOPS. Ah, e todas as quintas a partir das 18:00 a entrada é gratuita e há vários programas e palestras rolando por lá, entre no site e confira.
Com cerca de 150 obras entre pinturas, gravuras, desenhos, vídeos e ambientes cromáticos essa exposição apresenta o trabalho de 50 anos de Carlos Cruz-Diez e suas pesquisas sobre a origem e ótica das cores. A exposição trás suas primeiras pinturas figurativas, no começo dos seus estudos depois raramente executados, desenhos, seus esboços e esculturas. 
Logo na entrada há um espaço como uma tenda e dentro há objetos e todo branco com linhas e cores projetadas no ambiente, chamada Cromointerferência, as cores ondulam constantemente dissolvendo em cor os volumes ao redor. 
 Saindo de lá seguimos para a exposição de Carlos. 
"Entre os trabalhos apresentados na mostra está a série cores físicas - que consiste em uma sequência de linhas coloridas alinhadas verticalmente e de filtros refletores que são modificados conforme o ângulo da luz ambiente e da posição do observador, projetando, assim, a cor no espaço e criando um efeito que evolui continuamente, dependendo do deslocamento do observador. Cerca de 50 Fisicromias serão expostas pela primeira vez, revelando os oito estágios que marcam a evolução conceitual e tecnológica da série: desde madeira cortada e pintada à mão e peças de papelão, até o emprego de tiras de alumínio e tecnologia de impressão digital. Cor aditiva e Indução cromática, ambas de 1963, são duas séries de trabalhos que estão inter-relacionadas e têm por base a impressão ou persistência retiniana a “afterimage”, que leva a retina do observador a produzir uma terceira cor virtual quando confrontada com duas cores complementares em um plano. " - Trecho retirado do guia da exposição 
 Essas duas fotos abaixo são do mesmo quadro. Olhando por um ângulo você enxerga tudo vermelho e de frente você observa outras formas e cores se formando. 
 Uma escultura logo na entrada e os raros quadros que retratam a vida e o país do ainda jovem artista.
 Uma das minhas obras favoritas " El muro negro" A parede preta. 
No fim da exposição pude experimentar a Cromossaturação. Trata-se de ambientes artificiais com três câmaras- uma verde, outra azul e uma vermelha- em que você fica imerso numa situação monocromática. Essa experiência produz estímulos que perturbam a retina, normalmente exposta a uma grande variedade de cores simultâneas. As Cromossaturações podem agir como detonadores que disparam uma situação material e física no espaço- sem passado ou presente, sem auxílio da forma e desprovida de suporte- sem travas ou convenções culturais de qualquer espécie. 
 O espectador mergulha numa atmosfera de cor. 
Dei minha colaboração para a exposição usando o meu All Star que personalizei na semana passada, todo colorido e com linhas e formas. 
 Adorei essa exposição, adorei me ver mergulhada num paraíso de cores, formas e texturas. 



Um comentário:

  1. Nossa que linda exposição!Seu all star ficou maravilhoso e eu adorei as fotos!=)

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.
Só avisando que responderei a todos os comentários aqui mesmo.
E se você quiser que eu visite o seu blog, por favor avise.