quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Já não me encaixo mais

524411_125243704286678_1281084308_n_large
" Já faz um tempo que eu ando percebendo que as coisas estão mudando, que já não me identifico tanto assim com os meus amigos. Olho para eles e não me vejo mais naquele grupo. Eles não fazem nada de mal, mas as conversas, os assuntos.. não são sobre algo que me importa. Não quero uma cópia de mim, só alguém em que eu possa compartilhar interesses sem que me olhe torto e pensem 'Lá vem a esquisita apaixonada por livros'. Me afasto e vejo que também não faço tanta diferença..."  Confissão de uma garota no Desabafa aí...

 Nossa, acho que você tá falando com uma profissional nesse quesito. Bem, o que eu posso dizer é que eu sei o que é se sentir sozinha e esquisita. Eu morei metade da minha vida numa cidade do interior, estudava em casa e fui para a escola só no ensino médio. Para mim era normal usar roupas antigas, gostar de ler bastante, ter opinião sobre tudo e não ter preconceito com o novo e diferente. Mas a maioria dos meus colegas não pensavam assim, fui zoada muitas vezes, mas isso no final foi bom, criei uma resistência incrível. Eu chamo de ligar o foda-se e continuar vivendo apesar dos comentários alheios. E além disso, um dia você vai acabar conhecendo pessoas iguais ou piores do que você, então relaxa "apaixonada por livros" existem outros que também são, e isso não é esquisito, é muito legal! Eu sei o que é se evolver e sentir as palavras e recitar poetas mortos, e tô nem aí se falaram que isso é esquisto, eu sinto uma ligação com eles e pronto. E foda-se o resto!
 Agora é chato quando você começa a não se sentir parte de um grupo de amigos, mas isso também é normal. Olha, muitas pessoas já passaram na minha vida e posso contar nos dedos da mão aquelas que eu ainda consigo manter um papo bacana e ainda tenho um certo nível de relacionamento. As condições da vida nos afastaram, eu mudei e senti que elas continuavam na mesma ou mudavam para algo que eu não queria ser. E isso doí um pouco no começo, o ser-humano é muito egoísta em relacionamentos, nunca queremos deixar o outro livre para escolher seus próprios caminhos, queremos viver eternamentos juntos e blá blá blá... Mas se tem uma coisa que eu prezo é a liberdade, então eu não ligo de ter tido amigos que agora eu nem falo direito. Eles foram especiais para mim numa época e guardarei esses momentos com muito carinho. Você também não tem que se sentir mal, sei que agora tá barra, mas vai dar tudo certo. Você está mudando, descobrindo coisas novas é normal não acompanhar mais alguns programas e papos. E eles vão acabar percebendo e te excluindo não porque você não é importante mas porque simplesmente essa é a seleção natural das coisas. Pode parecer muito banal o modo como eu falo, mas não tem como, amizades são intensas, especiais e muitas vezes superficiais e basta em sopro para destruir tudo.
 Não se preocupe, guarde aquilo que foi bom e tenha a alma livre para descobrir outras pessoas. Eu não lembro quem escreveu isso,  mas é algo mais ou menos assim " Não importa o tempo que as coisas duram e sim com que intensidade elas acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis e pessoas inacreditáveis".
 Querida amantes de livros não tente se encaixar, não tenha medo de perder, não se bloqueie para o novo. Amigos vão e vem, o importante é você sempre ser honesta consigo mesma. Um dia você vai encontrar pessoas que vão valer à pena, que vão te ajudar e por quem você vai lutar e se sentir bem na companhia delas. Mas enquanto esse dia não chega aproveite os seus livros e escreva para mim quando você precisar.

Boa noite

Quem quiser desabafar entre aqui e escreva uma mensagem.

8 comentários:

  1. Ahh, que bacana essa tag, poxa. *.*
    E é super normal se sentir assim, pelo menos pra mim, acontece com várias pessoas e em vários momentos, infelizmente, é triste perceber que não há mais aquela ligação que já existiu entre a gente e certas pessoas, mas no meu caso, ainda existem as pessoas confortáveis, que sabem me deixar super à vontade e ser quem eu sou. E bem-vinda ao clube das apaixonadas por livros. :3

    ResponderExcluir
  2. Perfeito esse post, me identifiquei com ele. Eu sempre fui a diferente por não ter os mesmos gostos, mas agora percebo que por ser assim que eu sou especial.
    beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Pois é meninas, isso é super normal... doí um pouco mas não se preocupem as coisas iram se encaixar uma hora.

    Um beijo para todas :)

    ResponderExcluir
  4. Você está certa, pessoas vão e vem o tempo todo, já me acostumei com isso, agora vou te contar um segredo sempre venho aqui no teu blog...
    Mas como sou nova por aqui(blog) fiquei sem jeito para comentar Ü
    Adoro sua fotos,a maneira como escreve.
    Obrigada por comentar no meu blog, bjs.

    ResponderExcluir
  5. Cara, eu me sentia assim antigamente. Na verdade, até pouco tempo, pouco mais de um ano talvez, eu me mudei para uma cidade com uma cultura diferente da minha e isso foi barra. Muitas vezes tentei me moldar aos outros, mas não deu certo. Hoje em dia eu aprendi a ligar o meu "Foda-se" como você =) E além disso eu aprendi que sou diferente e até esquisita (e gosto disso) e por isso evito falar das coisas que eu gosto perto de outras pessoas que não entendem meu ponto de vista. Bem, "se não quer ser criticado, não dê espaço para que alguém se meta". Hoje eu conheço uma turma que compartilham das mesmas ideias com quem posso conversar e os protejo como tesouros preciosos. X) HaHaHA
    Boa quarta.
    ;3

    ResponderExcluir
  6. Mas avida é assim, se tivéssemos os mesmos amigos a vida toda não conheceríamos gente nova.
    As pessoas mudam (felizmente).
    Hadassah, pelo o que eu vi essa frase é do Fernando Pessoa.

    ResponderExcluir
  7. Pois é, estou me sentindo na mesma, mas sei que os bons amigos se mantém (:

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.
Só avisando que responderei a todos os comentários aqui mesmo.
E se você quiser que eu visite o seu blog, por favor avise.