quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Ao garoto que me ensinou umas e outras sobre o amor


"Pensei que com coragem o suficiente eu pudesse mudar alguma coisa, mas deveria ter te ouvido há muito tempo atrás e ter simplesmente deixado você 'voar'. Mas nunca parei de gostar de você, só que chega a hora que para seguir em frente, tem que se aceitar algumas coisas. Você quer e vai viver suas aventuras, sejam lá quais forem elas. Vai 'voar' e 'pular de coração em coração' como já disse. Se tivesse aceitado isso há mais tempo, teria simplesmente realmente te amado e deixado você ir. Mas todos são egoístas e é difícil não o ser - acredite no evolucionismo, no cristianismo, no budismo... qualquer um vai explicar porque as pessoas são assim.
Sei lá se isso esclarece alguma coisa. Sabe-se lá se alguma explicação era sequer necessária. Mas sou assim, e não acho que não dizer nada seria o certo. A forma de dizer que te amo é deixar você viver, ir em frente e realizar seus sonhos e te deixar ser feliz."

Olhei para o vazio sabendo que não encontraria seu olhar, estava sozinha, mas era a estranha sensação que você estava ao meu lado que me provocava certos calafrios. Deitei na cama e fiquei lembrando do começo, do meio e do hoje. Entre os lençóis me lembrei daqueles olhos tímidos. Virei para o lado da janela e fiquei pensando no dia em que descobrimos o telefone e ficamos horas falando sobre o nada e o tudo, virei para a parede e percebi que havíamos trocado poucas palavras nos últimos tempos. Fechei os olhos e dormi. 
Acordei, olhei para o relógio e me deu saudades. Chorei, chorei porque sou egoísta, porque você foi o único homem que eu acreditei que realmente poderia gostar de mim, mas que mesmo assim eu nunca havia me entregue. Me senti sozinha, mas eu gostava da sensação, eu gostava de "voar", gostava de não me sentir de ninguém. Corri para o computador e reli a mensagem. Queria gritar para você não desistir de mim, queria dizer que te amava, mas que eu não conseguia ser diferente, não conseguia!
Reorganizei meus pensamentos, respirei fundo e fiquei envergonhada com meu surto infantil. Com um sentimento puro e altruísta você tinha me deixado ir, sem nunca guardar rancor, sem nunca me apagar da sua vida. Você entendia mais de amor do que eu, que sempre falava que era preciso amar aos outros, você tinha seguido sua vida e tinha deixado eu seguir a minha com uma serena convicção que era o melhor.
Fechei a mensagem, não pedi perdão, não disse que era melhor assim, apenas te amei a distância. Senti gratidão por você ter entrado na minha vida e ter feito várias mudanças. Não fiz planos para o futuro.
Talvez troquemos algumas palavras, risadas e até confissões. Ou a cada dia mais distantes possamos nos distrair com outras coisas e outras pessoas, ou ainda quem sabe eu te encontre no Ártico junto com seus amigos antropólogos e traga algumas pedras de lá. Não sei, e nem quero saber. 
Não me sinto culpada e nem no dever de corresponder, eu sei que você não cobra isso de mim. Eu te amo por você ser livre o suficiente para também me deixar ser. Esse amor transcende as histórias românticas clichês, não termina com lágrimas, beijos e juras. Nossa história ficou naquele inocente contexto de olhares, conversas e mensagens trocadas. 

10 comentários:

  1. Wow .. Valeu pela coragem e pela facilidade de expressar algo tão comum mais por vezes difícil para alguns como eu exteriorizar.. Está tão explicito que me senti eu mesmo falando para a pessoa que me precisava ouvir.. Obrigado Hadassah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço, pelo carinho e pelo tempo dedicado para ler o texto. Que bom que você se identificou. Ah, só não deixe de exteriorizar algumas coisas, é importante fazer isso.

      Excluir
  2. Que texto muito amor. Diz muito do que muitas pessoas deixam entalado na garganta sem saber porque, ultimamente seus textos tem sido muito inspirados, parece que você está numa nova fase, uma nova Hadassah, não sei explicar, parece que você está mais feliz e que tudo está fluindo, é tão renovador ver que pessoas que você gosta estão nessa fase, que ela dure =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Julia... Que lindo, muito obrigada.
      Também estou me sentindo numa nova fase, outra nova fase hahahaha, mas enfim...
      Apesar dos pesares a alegria que venho recebendo tem afogados minhas mágoas e medos.
      Te desejo tudo de bom e muitas alegrias e mudanças, para melhor claro.
      bjss linda

      Excluir
  3. Nossa Hadassah....Estou sem palavras...Perfeito, honesto, verdadeiro...transparente...Corajoso...

    ResponderExcluir
  4. Nossa.. coragem dos dois lados! Muito legal ver tanta verdade e simplicidade num caso tão complicado como falar do coração... Parece que eu ouvi nas linhas a música Assinado Eu, da Tiê... Boa sorte aos dois...

    ResponderExcluir
  5. Amei a suavidade e simplicidade do texto. E a coragem das palavras também, a verdade, e até mesmo a tristeza sutilmente presente. Ler esse texto foi singelo e belo como voar. Esse "eu te amo" sempre me soou como três palavras impronunciáveis. Me identifiquei com o texto. Lindo, amei!
    Super beijinhos, Hohon

    ResponderExcluir
  6. "Se eu tivesse lido esse post em outro momento talvez pudesse confundí-lo com minhas próprias experiências. Você expressou com palavras sinceras e realmente passou os sentimentos nesse texto... Lindo como escreveu e mais lindo ainda ter superado e ter aprendido algo com essa superação"

    ^^

    ResponderExcluir
  7. Conformista sem se conformar e... muito interessante! Escreveu de um jeito tão bonito que um monte de gente irá identificar com suas palavras (até parece horóscopo, todo mundo se identifica com o que leu, rsrsrsrs) ... só que não... só você mesma passou por isso e a sua dor é unicamente sua. E que suas lindas lembranças te façam sempre sorrir... muito bom...

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.
Só avisando que responderei a todos os comentários aqui mesmo.
E se você quiser que eu visite o seu blog, por favor avise.