quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Você não precisa do convencional

2e3cfa8fa1e84d04175666640df3-post_large

Em uma de suas cartas ao irmão Van Goch escreveu o seguinte: "Quando, de ambas as partes, existe o desejo de viver uma amizade, se às vezes não estamos de acordo, não nos magoamos tão facilmente, ou, se nos magoamos, rapidamente nos recuperamos. Mas quando isso é convencional, é quase inevitável que surja o rancor, exatamente porque não podemos nos sentir livres, e mesmo que déssemos vazão a nossos sentimentos estes acabariam por deixar reciprocamente uma duradoura impressão desagradável e então podemos perder as esperanças de representar algo um para o outro. Onde há convencionalismo, há desconfianças, e da desconfiança nasce toda a espécie  de intrigas. E, com um pouco mais de sinceridade, tornaríamos a vida mais fácil para todos."
Quando acabei de ler esse trecho do livro não pude continuar, tive que dar uma pausa e pensar sobre os meus relacionamentos, não apenas no âmbito de amizades como também relacionamentos amorosos e familiar. Van Goch depois de algumas decepções  amorosas e com alguns amigos acabou percebendo que o que ele precisava era algo fora do comum, não convencional. E analisando toda a minha tragetória de relacionamentos cheguei à mesma conclusão. Quero jogar para o alto todas essas conveções! As pessoas que escolherem estar ao meu lado entenderam minha maneira de ser, e se esse sentimento que no une for realmente sincero saberemos nos respeitar. 
Quando nos cansamos des joguinhos, intriguinhas e falta de sinceridade a solução é fazer as malas e buscar pessoas que aceitam sair do comum junto com a gente. As aparências acabam os status também, o que resta é a sinceridade e amor que você sente por aqueles que escolheu ter ao seu lado. Por favor, vamos parar de desistir dos outros simplesmente porque eles não se encaixam nas nossas convenções. As peças de um quebra-cabeça também não são iguais mas unidas formam um todo com a resposta do enigma. Não me importo de parecer louca, eu saio do convecionalismo pelas pessoas que amo. Só espero que elas também me entendam e que jutos possamos fazer novas descobertas e possamos desbravar nossos corações.
Você também não precisava se encaixar em algo para ser feliz, precisa apenas encontrar pessoas que aceitem as diferenças e que sejam sinceras. Eu sei que é uma baita de uma busca que requer paciência e tempo, mas acredito que a recompensa vale o esforço.


Um comentário:

  1. Obrigada Had, estou meio chateada e suas reflexões estão me ajudando a pensar.
    Bj

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.
Só avisando que responderei a todos os comentários aqui mesmo.
E se você quiser que eu visite o seu blog, por favor avise.