domingo, 10 de fevereiro de 2013

Se for para dizer adeus, diga direito

0x900_large
(image via: Nirrimi)


Queria que uma despedida pudesse ser descente. Olhar para a pessoa e dizer adeus sem pedir que ela se lembre de você no fim do dia, despedir sem querer fazer parte ainda.

Queria que um adeus fosse decisivo. Uma decisão calculada e pensada. Nada de adeus tropeçado e mal colocado por orgulhos ou medos. Um adeus para o bem comum, para desatar nós. Adeus como motivador, como ventos na vela, que levassem para longe, para outras conquistas.

Queria que um adeus fosse descente, ainda mais pela minha parte. Que em vão quer tudo que me consome, ardente no peito, mas que nada pode fazer sem consentimento alheio.

Só queria dizer adeus, sem “até mais” ou “a gente ainda se vê”. Não! Quero adeus consumado. Quero ir, me deixar ir, deixar você também. E depois de tanto programar e treinar finalmente tomar os caminhos que tracei por tanto tempo.

É em vão, eu sei. Um adeus sempre vem com aquela carga que ainda podia ser. Fui, sem querer, com remorso, com indecisão. Mas talvez seja isso mesmo.

Pode até ser que o adeus funcione, e que realmente nunca mais se veja, nunca aconteça o reencontro. O problema é que ele acaba ficando eterno na gente, querendo ou não o adeus ainda soa com um olá. Lembrar-se da despedida é como voltar no tempo e chegar ao primeiro dia.

E a vida se resume em algumas partidas, outras chegadas. E a gente, no meio disso tudo, tentando entender esse trânsito caótico que trás e leva que leva e trás, mas que nunca para, mesmo que forcemos ir contra o fluxo.


5 comentários:

  1. Amei o Texto,muito lindoo
    Parabéns Hadassah.

    http://iximodernizei.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Adeus nunca é fácil, por mais certo que possa parecer no momento. Afinal, quem foi que inventou essa droga de adeus? Nunca da certo! :/

    Beijão, Unsaid Things

    ResponderExcluir
  3. O Adeus tem mesmo essa dualidade, que nos confunde e castiga. Perfeito Hadassah!
    Kissus!

    http://www.bonequinhaaluada.com/

    ResponderExcluir
  4. Gracioso. Triste. E eu senti em mim. "Como ventos na vela." Bonito isso.
    Adorei teu blog. :)

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.
Só avisando que responderei a todos os comentários aqui mesmo.
E se você quiser que eu visite o seu blog, por favor avise.