segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Resenha: Como os Pinguins Me Ajudaram a Entender Deus

Tudo começou com uma amiga. Ele se chama Triana (oi Tridelícia), um dia ela emprestou um livro sobre Deus e pinguins para um outro amigo nosso, Natan (oi moreno do cabelo enroladinho). Triana sempre comentava que eu precisava ler o seu livro dos pinguins e eu que não resisto a uma leitura concordava. Mas Natan demorou a ler o livro e depois acabou dando o livro para a Noelia, outra amiga nossa, e nessa rede sem fim de troca troca me vi sem o livro durante um ano. Triana que estava morando em outra cidade acabou indo visitar a gente na faculdade e numa manobra arriscada resgatou o livro para ele finalmente repousar na minha cabeceira. 
Talvez vocês não tenham entendido nada da introdução acima. Mas entendedores entenderão hahaha. Resumindo: Esse livro passou por vários estágios até chegar nas minhas mãos, eu acho que foi realmente tudo programado por Deus, para que meu começo de férias fosse perfeito ao lado dele. 
Obrigada Triana por me emprestar o livro, você não imagina o bem que ele me fez! 
SINOPSE
Donald Miller podia ser um homem como todos os outros, na verdade se você olhar superficialmente ele o é. Mas se tem uma coisa que difere em Don da maioria é sua percepção sobre Deus e a vida cristã. Após passar por algumas experiências ao longo da vida ele passou a viver o cristianismo de uma maneira diferente. Suas comparações com a rotina e a vida cristã foram além das velhas e opressivas teorias do que é certou ou errado, ou de condenação. O que a fé tem a ver com o sexo dos pinguins? O que uma cenoura sexy e um coelho determinado podem te ensinar sobre redenção? Ou ainda, o que jovens universitários em festas regadas a álcool e drogas podem te ensinar sobre o perdão? Bem, tudo isso pode ensinar sobre o amor e a vida em Cristo. Em "Como os Pinguins Me Ajudaram a Entender Deus" Donald faz ensaios bem-humorados e inteligentes que mostram sua trajetória em busca de uma espiritualidade saudável e do crescimento emocional. O resultado pode ser surpreendente: uma vida espiritual genuína, sem julgamentos fundamentalistas ou culpas opressivas, mas, acima de tudo, muito próxima de Deus. 
  
MINHA OPINIÃO
Me perguntei várias vezes se eu cometia pecado por ler um poema de Drummond ou ouvir uma música do Renato Russo e me sentir conectada a Deus. Às vezes sinto que Deus é tão bom e está em tantos lugares que se você parar para prestar atenção verá sua manifestação em cada canto. Não estou querendo generalizar, mas eu acredito mesmo nessa ideia de que se você entrega sua vida a Deus ele passa a fazer parte presente e operante do seu cotidiano e pensamentos. Ao ler o livro dos pinguins (carinhosamente apelidado) eu tive a feliz surpresa de perceber que há muitas pessoas por aí em busca de um cristianismo mais puro, simples, e como diria Triana, mais orgânico. E que assim como eu, Donald vê a atuação de Deus nos eventos e lugares mais estranhos. 
Ler as experiências de Donald além de divertido, é enriquecedor. Muitos podem ter preconceito com livros religiosos principalmente pela questão de doutrinação. Mas esse não, Donald não quer doutrinar ninguém, não há condenação ou teorias escabrosas de como você está errado e condenado ao inferno por pensar de uma maneira diferente. Indico esse livro porque além de ser uma delícia de ler é uma constante recordação de como Deus atua, não importa quem você seja, onde esteja e o que pensa, Ele pode usar qualquer coisa para mostrar seu amor e redenção, inclusive você e suas descobertas. 


Especificações do livro 
Título Original: Blue like jazz - nonreligious on Cristian spirituality
Autor: Donald Miller
Tradutor: Alexandre Martins Morais
Editora: Thomas Nelson Brasil
ISBN: 978-85-6030-308-3
Ano de Edição: 2007
Ano Original de lançamento: 2003
N° de páginas: 230

Para comprar: Submarino / Saraiva 


8 comentários:

  1. Ahh eu sabia que ia ser maravilhoso! E que post mais lindo heheh Este livro foi escrito pra nós e tomara que todos que lerem aqui o leiam também porque ele é tudodebom lol

    ResponderExcluir
  2. O título é bem curioso, já dá muita vontade de ler, mas também porque eu adoro todos os livros de Deus que você indica Hadassah, exatamente por sua mente livre e fora da caixinha, e por você saber conciliar isso com a igreja, porque eu não soube (mas ainda pretendo tentar)!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grazi, sabe a real mesmo? Religião mais atrapalha do que ajuda. Se você focar em conciliar sua opinião com as regras de uma placa nem sempre dá certo. O importante é respeitar a opinião dos outros, mas não se basear no que as pessoas andam dizendo sobre como você encara sua vida cristã. O foco deve ser sempre Jesus, só Jesus! E se as religiões espalhadas por aí também acreditam no evangelho em nada elas poderão te condenar.
      Espero realmente que nós possamos sentir a liberdade que é viver em Cristo.

      Um grande abraço

      Excluir
  3. Adorei essa dica! Ultimamente tenho gostado dos livros sobre Deus, religião cristã que tenho lido. E esse parece ser do jeitinho que eu gosto. Gosto dessa pensamento da religião mais orgânica, e sem tantos julgamentos. E sou como você, já senti Deus falar comigo em uma música do Criolo - loucura hahaha - e de uma outra banda sem ser gospel. E acredito que ele pode usar qualquer coisa, ele usou um jumento cara hahaha. Te indico dois livros: A Bacia das Almas do Paulo Brabo e Outra Espiritualidade do Ed René Kivitz.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha uma loucura boa só pode! Criolo manda bem! Bom saber que Deus fala com a gente né?
      Obrigada pelas dicas, vou dar uma olhada nesses dois livros.

      Um abração!!

      Excluir
  4. Que interessante esse titulo. Fiquei curiosa sobre o livro por causa do que você disse, porque e eu também acredito que Deus esteja em todos os lugares, em todos os momentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então leia Lunara! Você não vai se arrepender :D

      bj

      Excluir

Obrigada pelo comentário.
Só avisando que responderei a todos os comentários aqui mesmo.
E se você quiser que eu visite o seu blog, por favor avise.