quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Resenha: O Velho e o Mar

Quando comecei a ler O Velho e o Mar minha principal motivação não foi a história em si, fui movida por questões sentimentais.
Esse livro pertenceu à minha avó Carmen (Carmen, acho lindo esse nome. Um dia terei uma filha chamada assim), e logo na primeira página ela escreveu seu nome e data de leitura, 1989. Quando vi a letra dela decidi que ia ler também. Só de pensar que aquelas folhas tinham sido tocadas pelas suas mãos e que meus olhos cairiam nas mesmas palavras que ela havia lido, nossa... já foi motivação de sobra! Sinto muitas saudades da minha nonna. Enfi,  vou parar por aqui antes que esse post se torne triste. Ela ficaria é feliz por me ver lendo e compartilhando isso com vocês. Então vamos começar logo essa resenha! (hahahaha)

SINOPSE
Considerado um clássico da literatura universal e a grande obra de Ernest Hemingway, O Velho e o Mar narra a história de Santiago, um pescador já idoso que decidi enfrentar o mar e suas artimanhas. Ao fisgar um grande peixe-espada Santiago acha que tirou sorte grande. Mas toda essa sorte torna-se numa grande aventura e sufoco ao ele ver sua pequena embarcação arrastada mar a dentro pelo animal. Dias se passam e ele desprovido de alimentos, energia e proteção, luta contra a força do peixe e a fúria da natureza. Presenciando a morte bem de perto Santiago se vê a sós com seus pensamentos e lutas interiores. Um homem solitário na imensidão do mar e de seus inúmeros segredos. 

MINHA OPINIÃO
Quando comecei o livro achei que a leitura iria ser mais fácil, não que ela seja complicada, só me custou o dobro de atenção. As respostas do livro estão nas entrelinhas, Hemingway parece ter feito isso de propósito só para dar o sabor das lições aos leitores atentos. De maneira concisa e realista ele trás o homem, na pele de Santiago, ao seu estado existencialista. Sem muitos recursos, e ainda por cima idoso, ele precisa lutar para sobreviver com as força da natureza para sobreviver. Além disso, esse é um daqueles livros sem muitos personagens, a narrativa gira em torno de Santiago e o Mar, é uma loucura! Tudo acontece dentro de um barquinho. A esperança perdida, a luta pela sobrevivência o respeito ao combatente animal, o mar levando a embarcação num imenso labirinto. Nossa... não pensei que ia gostar tanto. Hemingway fez de palco um dos lugares mais misteriosos e cativantes. Para mim o mar sempre exercerá o papel de grande curiosidade, medo e mistério. Das lições que levo do livro as que escolho são: a perseverança de Santiago, e o contato com a imensidão da natureza que proporciona tantas descobertas. 



Um comentário:

  1. Gostei da sua resenha (e das fotos!). Quando li esse livro, fiquei encantada com o fato da maior parte da historia girar em torno do pescador e o mar. Faz muito tempo que li, mas lembro que no final, no lugar que ele se reencontrou com os outros pescadores, ocorreu um dialogo entre eles que me fez pensar: a sociedade se preocupada com o resultado final e nao com a travessia. Assisti ao filme do livro tambem, fiquei curiosa em saber como seria ilustrada tanto tempo num barco e tudo mais. Bem simples e fiel :)

    OBS.: Estou sem acentos nesse computador, hehe.

    alanated@ gmail.com

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.
Só avisando que responderei a todos os comentários aqui mesmo.
E se você quiser que eu visite o seu blog, por favor avise.